voltar

05 Jul, 2022

INTERCOLOR a glimpse of recent congress

Decorreu em Helsínquia o primeiro congresso Intercolor deste ano.

Em debate estiveram as tendências de cor para o primeiro semestre de 2024.

Portugal esteve representado pela ANIVEC/APIV, através do trabalho desenvolvido pelo MODATEX.

A proposta portuguesa abordou a estação a partir da ação coletiva e de foro intersticial. Um interstício é precisamente um espaço de possibilidades que facilita as interações.

“A ideia da convergência para lá das nossas diferenças permite complementar abordagens e alcançar melhores soluções. Ao abraçar espaços e tempos, nem sempre coincidentes, e ao preservar as identidades, é possível alcançar um sentimento de união que funcionará como um combustível, em prol do desenvolvimento humano e da preservação do planeta.

Quanto às sensações cromáticas, apresentaram-se duas perspetivas: por um lado, as cores do conforto que nos proporcionam uma viagem pelas memórias da nossa existência. Uma experiência rica de conteúdo, pontuada por acentos da atualidade; por outro lado, cores vibrantes que capitalizam energia e nos levam a acreditar sermos capazes de ultrapassar todas as fonteiras do universo. Uma experiência arrebatadora, sem final à vista”.

O foco dos encontros Intercolor está no intercâmbio cultural que, a par da análise da evolução cromática, contribui para e elaboração de uma proposta de cor concertada entre todos os países.

No decorrer deste encontro, teve ainda lugar uma sessão de trabalho dedicada aos materiais inovadores, fundamentais para o desenvolvimento sustentável e tecnológico dos têxteis nos próximos anos.

Portugal apresentou os materiais ALFARROBA.TEX by Mónica Gonçalves e Goma by Flowco.

A designer e ex-formanda do MODATEX, Mónica Gonçalves, inspirada pelas raízes familiares algarvias, criou um têxtil artesanal a partir das alfarrobas de Silves. Este novo têxtil substitui o couro animal.

Por sua vez o Flowco é o laboratório criativo que criou a Goma, uma marca portuguesa de azulejos ecológicos. Estes revestimentos distinguem-se dos restantes pelo uso de materiais compósitos, feitos a partir de resíduos industriais, sejam eles borracha, plástico, madeira ou papel, o que permite criar cores e texturas únicas.

A Intercolor foi criada em 1963 por iniciativa da França, Japão e Suíça. Os seus respetivos representantes, Fred Carlin, Yasuo Inamura e Milo Legnazzi, concordaram que a cor da moda deveria ser discutida internacionalmente. Na primeira sessão da Intercolor, a 9 de setembro de 1963, estiveram presentes em Paris 11 países. A ANIVEC/APIV é membro da Intercolor desde 1990. Ao longo dos anos juntaram-se à organização vários países, sendo atualmente 17 países membros, desde a Europa, à Ásia e América.